Como é a Trilha do Rio do Boi


Umas das trilhas mais desafiadoras e difíceis terá novas datas: dia 15 de novembro e 23 de fevereiro com a Partiu Viagem e Turismo. Eu fiz a trilha há um tempinho, em 27 de janeiro, com a Partiu Vigem.
A Trilha do Rio do Boi se trata de uma trilha localizada dentro do Cânion Itaimbezinho, conhecida por suas belezas em paredões, águas cristalinas e muita mata, e principalmente pela sua dificuldade. Sua extensão é de 14 km (ida e volta), onde a maior parte dela é sobre pedras e por dentro da água, com 22 travessias no rio. A duração média de tempo na trilha é de 6 a 9 horas, onde a nossa aventura durou 8 horas.


 A Trilha:
Antigamente, as tropas desciam as montanhas dos Aparados  e cruzavam um rio que chamava a atenção pela quantidade de ossos de gado encontrados. Na mesma época, nos campos acima do cânion, haviam fazendas que criavam gado, onde esses animais acabavam indo até as beiradas do penhasco e muitos caiam, originando o nome Rio do Boi.
A entrada para a trilha fica em Praia Grande – SC, a mais ou menos 10km do centro da cidade. Uma curiosidade é que o cânion (parte de cima) pertence ao Rio Grande do Sul, mas a trilha (parte de baixo) pertence a Santa Catarina.
Para fazer a trilha, é obrigatório acompanhamento de um guia credenciado e realizar reserva antecipado. Cada guia do parque tem uma quantidade máxima de 12 pessoas por vez que acompanha, e o parque tem visitação máxima de 132 pessoas por dia, por isso deve ser agendado com antecedência. Mesmo agendando a trilha, não é possível realizá-la com chuvas pois se o nível do rio passar de 19cm, o parque fecha, sendo necessário remarcar.
A trilha fica no Parque Nacional dos Aparados da Serra, na qual é controlada 24h pelo ICMbio, mas seu horário de funcionamento é das 08h as 17h, mas não é permitido iniciar a trilha depois das 13h. É recomendado ter experiência com trilhas e preparo físico para o que vão encontrar: subidas, descidas, travessias de rios e muita natureza.


 Ao chegar no parque, todos nos assinamos um termo de responsabilidade e usamos perneiras para evitar acidentes (todos devem usar). Esse item já está incluso no pacote da trilha, juntamente com um guia credenciado.
Iniciamos o percurso em mata fechada, com um pequeno trajeto com subidas e poucos obstáculos, nada difícil.
Importante destacar que a trilha durou 8 horas, mas esse tempo não foi direto – fizemos paradas para banho nas piscinas naturais e nas cachoeiras escondidas entre os paredões do cânion, além de uma parada para almoço/piquenique no mato.


 Infelizmente, o passeio não vai até o fim do cânion. A rota final que a organização estipulou é até um local chamado Cruz, onde é possível apreciar um das curvas formadas pelas fendas na montanha.



O que levar para comer:
Durante esses 14km, você estará no meio do mato e não haverá estrutura para alimentação e nem banheiros, então é muito importante levar comida de casa, principalmente pelo motivo que a duração média de trilha é de 6 a 9 horas.
Importante optar por comidas que vão te deixar alimentado e com energia durante esse tempo, e que não estraguem fácil. Eu levei ovos cozidos com casca e enrolados em papel alumino para ajudar na conservação, além de amendoim com cacau (barra de cereais e rapaduras são ótimas opções), waffler integral e água. Nesse caso, não se preocupe muito com a quantidade de água a ser levada pois as piscinas que vamos passar são naturais com água potável e pode-se encher a garrafinha.

O que usar na trilha:
Opte por roupas confortável e flexíveis. Uma dica: use a roupa que você usaria para ir na academia. O único detalhe importante é o tênis pois você vai passar por muitas pedras, onde a maioria são lisas, por dentro da água e por trilhas com barro, subidas e descidas. Recomendo usar um tênis específico de trilha pois eles são mais firme em lugares lisos e embarrados. Indiferente do tênis, ficará molhado pois a água a ser atravessada chega ao joelho em alguns casos. Eu usei roupa de academia, mas usei biquíni por baixo, na qual tirei a regata logo no primeiro contato com a água e não voltei a usar. O tênis que usei foi o da Stihl, que segura muito bem.
Importante levar outra roupa para trocar no final da trilha. Como fui com grupo de excursão, levei duas mochilas: uma com a comida, protetor solar e garrafa com água para carregar durante a trilha, e na outra mochila, levei outra muda de roupa, chinelo, toalha e um outro lanchinho. Essa segunda mochila, deixei no ônibus (levei o menos peso possível para a trilha com o necessário).

O que levar para a trilha:
Além dos itens que falei anteriormente, importante levar algo para proteger o celular. Coloquei o meu num saco stank onde carreguei pendurado no pescoço. Cuide desse detalhe pois a probabilidade de você escorregar é grande.
Outro acessório que recomendo é levar um bastão de caminhada que irá te ajudar bastante no equilíbrio entre as pedras. Outros itens como boné e óculos de sol também são úteis – fui em um dia de muito calor.

Então, quem está pronto para essa aventura?


Comentários