Férias em Brasília


 Nos dias 03 a 07 de julho, fui passar minhas férias em Brasília, a capital federal do Brasil, junto com meu namorado. Escolhemos esse destino, pois meu namorado morou alguns anos lá, onde tem amigos e gostaria de revê-los, e para mim, era tudo novidade, pessoas e um lugar novo para conhecer.
Para quem não conhece, Brasília é uma cidade nova que foi planejada e teve sua construção bem rápida. A mesma foi construída para ser a capital que na época era o Rio de Janeiro, mas queriam uma região localizada no centro do Brasil a fim de evitar possíveis ataques pelo litoral. Brasília foi inaugurada em 21 de abril de 1960 por Juscelino Kubitschek, presidente da época. Muitas construções importantes levam o nome dele, além que são consideradas obras de artes (fiquei encantada com essas construções), projetadas pelo arquiteto Oscar Niemeyer.
Uma curiosidade sobre a capital é que seu plano urbanístico é conhecido como Plano Piloto. Olhando de cima, as ruas principais tem o formato de um avião, onde dois eixos (ruas bem largas), vias conhecidas como Asa Norte e Asa Sul, cruzam-se em ângulo reto, o Eixo Monumental. E ao redor, há as cidades satélites. As ruas e seus distritos sãos um pouco confuso, mas logo estando lá se compreende, e comparando com nossa região, as cidades satélites se assemelham aos nossos bairros.


 Chegamos no dia 03, quarta-feira, e ficamos por casa descansando. Saímos somente à noite para ir a um Pub. Nosso turismo em Brasília começou mesmo na quinta de manhã. Nossa primeira parada foi a Ponte JK (Ponte Jucelino Kubitschek), na qual liga o Lago Sul, Paranoá e São Sebastião e a parte central do Plano Piloto, através do Eixo Monumental, atravessando o Lago Paranoá. A ponte foi projetada pelo arquiteto Alexandre Chan, inaugurada em 2002 e também se trata de uma obra de arte. O Lago Paranoá tem três pontes, e essa é a terceira.
O lugar é perfeito para um piquenique, além que é possível alugar stand up e caiaques. Além disso, não há estrutura de lazer no local.


Saindo da Ponte JK, fomos até o Pontão do Lago Sul, o maior centro de lazer e entretenimento de Brasília. O parque é lindo, e há diversas opções gastronômicas (não almoçamos ali, pois procuramos algo mais em conta).  A estrutura tem uma grande área vende às margens do Lago Paranoá, e é onde fica a segunda ponte, além que não é cobrado para entrar no Pontão.
Achei a Ponte JK mais bonita, mas o se tratando de lugar situado, o Pontão é lindo! O ambiente ainda conta com estacionamento, passeios de barco, além de praticar esportes.


Após sair do Pontão, a ideia era almoçar e ir conhecer a Torre de TV, mas a mesma estava em obras, consequentemente, fechada para visitação. Então partimos ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, reformado em 2010-2013 para receber a Copa do Mundo de 2014, é considerado o 2º maior estádio do Brasil.


Seguimos para o patrimônio arquitetônico de Brasília, um museu a céu aberto localizado no Eixo Monumental, conhecidos como Conjunto Cultural da República. Iríamos iniciar pela Biblioteca Nacional de Brasília, mas adivinhem: também estava em reformas. Então partimos à Catedral, o primeiro monumento a ser criado por Oscar Niemeyer na capital. A arquitetura é linda, uma obra de arte por dentro e por fora. A parte externa tem o formato simulando mãos voltadas para o céu em oração.


 O ultimo passeio do dia foi ao Museu Nacional Honestino Guimarães, também planejado por Oscar Niemeyer. A sua estrutura tem um formato semiesférico, uma cúpula, e não há custo para visitação. O espaço é utilizado para exposições itinerantes de artistas renomados e temas importantes para a sociedade, palestras, mostra de filmes, seminários e eventos importantes.
Posterior, fomos para casa. Como estávamos hospedados na casa de amigos, localizados em uma das cidades satélites, nos orientaram a sair da parte central pelas 16h, no máximo 16h30 por causa do trânsito. Posterior a esse horário, o fluxo de carro aumenta bastante.
À noite fomos ao cinema assistir Annabelle 3.


 Na sexta-feira, continuamos o nosso passeio turístico por Brasília, iniciando no Congresso Nacional, mais uma arquitetura de Oscar Niemeyer. Uma curiosidade sobre a estrutura é que a Concha da Câmara é virada para cima, pois representa o povo - poder que vem de baixo para cima. A do Senado é voltada para baixo, pois representa a vontade do Estado - poder que vem de cima para baixo.  É possível realizar uma visita guiada sem custo, mas um detalhe: homens precisam estar vestindo calças.


 Atrás do Congresso Nacional, fica a Praça dos Três Poderes, onde há as sedes dos três poderes do Estado: o Palácio do Planalto (poder Executivo), o Congresso Nacional (poder Legislativo) e o Supremo Tribunal Federal (poder Judiciário) e está localizada no leste do Plano Piloto de Brasília.
Além dos palácios, na praça há o Mastro da Bandeira, onde possui a maior bandeira hasteada do mundo, as esculturas Os Guerreiros, de Bruno Giorgi (mais conhecida como Os Candangos), considerado um símbolo de Brasília, e A Justiça, escultura de Alfredo Ceschiatti, em frente ao poder Judiciário e o Panteão da Pátria, construído em homenagem ao presidente Tancredo Neves e que poderá vir a abrigar os restos mortais de ilustres figuras brasileiras. Sua forma sugere a imagem de uma pomba.
No local, também há o Espaço Lúcio Costa, onde há uma maquete de Brasília.


 Fomos almoçar no Shopping Conjunto Nacional, e posterior, ao Teatro Nacional Claudio Santoro, o principal equipamento cultural de Brasília, também projetado por Oscar Niemeyer. A sua estrutura tem a forma geométrica de uma pirâmide sem ápice, onde a sua área externa é revestida por um painel formado de blocos de concreto nas fachadas laterais, se tratando do maior exemplar de uma obra de arte integrada a uma edificação no Brasil.
Infelizmente, não entramos (fica para uma próxima oportunidade).


 Antes de retornar para casa, fomos dar um passeio rápido pelo Parque da Cidade Sarah Kubitschek. Ele é enorme, possui 420 hectares e é o maior parque urbano do mundo (maior do que o Central Park). O mesmo conta com diversas atividades de lazer, como playground, parque de diversões, kartódromo, ciclovia, quadras de esporte, pista de skate, lago, praça das fontes, área de hipismo e restaurantes, entre outras atrações.


 No sábado, fomos a um Café Colonial delicioso, o Bugu Delícias Caseiras, e a noite fizemos uma social em casa. Domingo foi dia de voltar ao frio, o inverno da Serra Gaúcha.
Não comprei muitas coisas (muito pouco mesmo), a intenção era um passeio de turismo e não comprinhas. Como lá é sempre calor (com exceção a noite que esfria um pouco), o comercio não oferece muitas opções de roupas para frio intenso como aqui no RS.

Bom, para finalizar, teve muitos lugares que não visitamos, quem sabe para uma próxima oportunidade. Aguardem...

Comentários

Postar um comentário

Obrigada pela visita. Deixe aqui o seu comentário ...